segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Vasos para as bolotas: uma solução prática, económica e amiga do ambiente (2)

A sementeira de bolotas em vasos tem como objectivo a plantação futura das pequenas árvores. Um bom início de vida permite que as jovens plantas, quando colocadas no seu local definitivo, tenham muito mais hipóteses de sobreviverem e de se desenvolverem saudavelmente.


Há muitos fatores que contribuem para o sucesso ou insucesso da germinação em vaso e da posterior plantação, mas um dos que melhor podemos e devemos controlar é o recipiente que utilizamos para a germinação das bolotas e formação dos pequenos carvalhitos. Um sistema radicular bem desenvolvido e saudável é absolutamente fundamental.

Eis como construir vasos apropriados para a germinação das bolotas a partir da reutilização de garrafas de plástico:

Reutilize uma garrafa de 500ml a 2 litros. Vai necessitar de um canivete e uma tesoura.

Corte o fundo da garrafa de modo a obter um pequeno “copo” que permita que o gargalo fique inserido no copo, mas sem tocar no fundo.

Com a tesoura, abra 4 pequenos orifícios a meio da lateral do copo.
Assim, permite que o ar circule e que o copo funcione como colector do excesso de água.

Verifique se ao colocar a garrafa invertida dentro do copo, o gargalo não toca no fundo.

Coloque a rolha e encha com alguma terra. A rolha é usada exclusivamente neste passo de modo a segurar a terra. Após o enchimento retire definitivamente a rolha.

O aspeto final do vaso deverá ser este: a garrafa invertida com terra colocada sobre o copo perfurado, o qual suporta a garrafa, permite o arejamento da raiz e possibilita a recolha de alguma água em excesso. 

Verifique sempre se o gargalo se encontra a alguma distância do fundo do copo.

Geralmente, cada carvalhito emite uma raiz aprumada que ao chegar à abertura do fundo do vaso não se desenvolve mais. Caso ela se prolongue para o "copo", corte a parte exposta.

O objectivo é impedir que a raiz cresça indefinidamente e se enrole. A interrupção do seu crescimento por exposição ao ar ou por corte leva a que da bolota cresçam outras raízes que irão adensar o sistema radicular, permitindo, futuramente, uma melhor sobrevivência aquando da plantação.

Nota: Em 2017 publicámos um post semelhante (Vasos para bolotas 1)

Sem comentários:

Publicar um comentário