terça-feira, 17 de outubro de 2017

Vasos para as bolotas: uma solução prática, económica e amiga do ambiente.

Obter carvalhitos de qualidade a partir da sementeira de bolotas em vasos depende de vários fatores -  seleção das espécies, das árvores, das bolotas, do tipo de solo, localização e cuidados com o "bolotário" - mas um dos mais importantes tem a ver com a escolha do recipiente.

Um excelente exemplo de uma garrafa de plástico adaptada para recipiente de sementeira.

Pode sempre optar-se por adquirir recipientes técnicos, dedicados especificamente à germinação de bolotas, castanhas e outras sementes similares, mas a nossa sugestão recai sobre a reutilização de um resíduo ambiental, as garrafas de plástico.


Os recipientes são colocados em cestos, de modo a permanecerem na vertical, e em cima de outros cestos, para que a raiz não alcance o solo.

Se o objetivo for a execussão de um  povoamento florestal, com a utilização de centenas de árvores por hectare, é mais viável a utilização de tabuleiros alveolares. No entanto, para sementeira em menor número, a reutilização de garrafas de plástico resolve três problemas de uma vez só - reutiliza-se um resíduo, não se gasta dinheiro e, (in)felizmente, em qualquer casa existem várias disponíveis (vão guardando ao longo do ano).


Na abertura central do fundo do recipiente, a raiz espreita, mas não se desenvolve para além da zona com terra.

A transformação de garrafas de plástico em vasos para sementeira é simples, basta seguir os passos seguintes:
- escolha garrafas de plástico de 500ml a 2 litros;
- corte o fundo da garrafa;
- inverta a garrafa (a rolha para baixo) e encha-a com terra até cerca de 5-6 cm do topo;
- semeie a bolota, colocando-a horizontalmente e com a parte mais aguda exatamente no centro do recipiente - deste modo, a raiz e a parte aérea desenvolvem-se no centro do vaso;
- tape a bolota com mais 3-4 cm de terra (a parte de cima da terra deverá ficar um pouco abaixo do limite superior do vaso para que a água da rega não se perca);
- regue com um pouco de água, até esta atingir a rolha;
- mantendo a garrafa invertida, retire a rolha (se a terra estiver húmida a maioria do substrato não cai neste processo);
- coloque o vaso no "bolotário", de maneira a que a abertura do fundo (onde se encontrava a rolha) não fique em contacto com o solo.

Tabuleiro alveolar para 40 sementes, com um volume aproximado de 500ml/alvéolo

Tanto os tabuleiros alveolares como as garrafas permitem o crescimento da raiz até ao início da abertura do fundo. Sem esta abertura, a raiz continuaria a crescer e enrolar-se-ia, o que debilitaria bastante o carvalhito e comprometeria a sua futura plantalção.
Assim que a raiz atinge esta abertura, a parte exposta morre por desidratação. O carvalhito começa então a produzir mais raizes na restante terra do vaso. Obtém-se então uma pequena árvore com um forte sistema radicular e com uma parte aérea correspondente ao desenvolvimento subterrâneo, o que irá aumentar o sucesso da sua plantação.
A abertura de fundo permite também escoar o excesso de água de rega e arejar as raízes, diminuindo as infeções fúngicas.

Sem comentários:

Enviar um comentário