quarta-feira, 10 de novembro de 2021

Dia 10 de novembro - Dia Mundial da Bolota

 Comemora-se hoje o Dia Mundial da Bolota.

Este ano temos a novidade dos vídeos tutoriais (vejam os posts anteriores).


Boas sementeiras...e boas plantações.

terça-feira, 9 de novembro de 2021

segunda-feira, 8 de novembro de 2021

sexta-feira, 5 de novembro de 2021

quarta-feira, 3 de novembro de 2021

Os vídeos do Dia Mundial da Bolota da Associação Guardiões da Serra da Estrela

Este ano temos uma grande novidade!

Conseguimos, finalmente, realizar vídeos tutoriais sobre o Dia Mundial da Bolota.

Os grande obreiros deste feito foram os guardiões da Associação Guardiões da Serra da Estrela (Site).




"A promoção e conservação da floresta autóctone portuguesa é uma das áreas de intervenção da Associação Guardiões da Serra da Estrela, aliada à educação e sensibilização ambiental.


Com o objetivo de contribuir para disseminar conhecimento sobre as nossas espécies autóctones e promover a valorização e recuperação das nossas florestas nativas, os Guardiões da Serra da Estrela associaram-se à iniciativa DIA MUNDIAL DA BOLOTA, que foi criada em 2009 no concelho da Covilhã, na Escola Secundária Quinta das Palmeiras e se assinala a 10 de Novembro.


Reconhecendo o potencial educativo e ambiental do Dia Mundial da Bolota, a Associação Guardiões da Serra da Estrela promoveu, com o apoio da CMC, a elaboração de 6 vídeos-tutoriais para promover uma maior divulgação desta iniciativa junto da sociedade civil e partilhar conhecimento muito prático que permita que mais pessoas, grupos e entidades sejam agentes ativos na promoção e recuperação das nossas florestas autóctones.


Estes 6 vídeos-tutoriais estão disponíveis no website e no Canal de Youtube (da Associação Guardiões da Serra da Estrela) e abordam os seguintes temas:


- O Dia Mundial da Bolota

- Bolotas e carvalhos

- Os carvalhos de Portugal

- Recolha, seleção e armazenamento das bolotas

- Um viveiro para as bolotas

- Semear bolotas e plantar carvalhitos"

(Obtido do site da Associação Guardiões da Serra da Estrela)


A partir de amanhã, disponibilizaremos um destes vídeos por dia.

Ajudem-nos a divulgá-los!

sexta-feira, 12 de março de 2021

Quantas vezes por ano é que um sobreiro produz bolotas?

A maioria dos carvalhos (Quercus sp.) frutificam apenas uma vez por ano, tal como ocorre em muitas outras espécies de árvores. No entanto, os processos evolutivos são muito criativos e, consequentemente, a biodiversidade exprime-se das formas mais variadas e até inesperadas.

No caso dos carvalhos, cujo fruto é a bolota (e simultaneamente a sua semente), na maioria das espécies a floração e consequente polinização ocorre na primavera, concluindo-se o desenvolvimento dos frutos no outono, época em que as bolotas se apresentam acastanhadas, sinal da sua maturação.

Lande de sobreiro

No entanto, este ciclo anual apresenta exceções. O carasaco (Quercus coccifera) apresenta maturações bianais, ou seja, as bolotas maduras resultam da polinização de há duas primaveras atrás. Mas isto será assunto para outro post. Hoje vamos aos sobreiros!

A floração dos sobreiros ocorre, principalmente, entre março e maio. No entanto, ela pode prolongar-se, de um modo difuso, ao longo do verão, até após as primeiras chuvas do outono.

As bolotas resultantes da floração da primavera amadurecem a partir de setembro. As florações mais tardias resultam na frutificação de bolotas que se pode estender ao longo do inverno.

Assim, distinguem-se três épocas de produção:

As primeiras bolotas a amadurecer, logo em setembro e outubro, são as de maiores dimensões e chamam-se "bastão" (na língua Espanhola encontrámos os termos brevas, primerizas ou migueliñas)

As segundas, que amadurecem de outubro a novembro, são um pouco mais pequenas que as anteriores e designam-se "lande" (encontrámos também os termos "landre" e "alandia" e na língua Espanhola segunderas, medianas ou martinencas);

Entrando pelo inverno, entre dezembro e fevereiro surgem umas bolotas ainda mais pequenas e imperfeitras, que não amadurecem na totalidade, chamadas "landisco" (na língua Espanhola encontrámos os termos palomeras ou tardías).

Claro que nesta momento deverão estar curiosos por saber quais são as melhores bolotas para semear...isso só será desvendado no próximo post!

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

O Dia Mundial da Bolota e o "Verão de São Martinho"

Quando decidimos escolher a data do Dia Mundial da Bolota - 10 de Novembro - tivemos em consideração três aspetos:

- Todas as espécies de carvalhos devem estar em plena produção;

- As espécies de folha caduca ainda deverão apresentar as folhas, de modo a facilitar a sua identificação (na realidade, a época de produção antecede a queda das folhas nas espécies caducas e marcescentes);

- As condições meteorológicas deverão favorecer as atividades ao ar livre.

Os dois primeiros aspetos colocariam este dia algures entre meados de Outubro e o final de Novembro/inícios de Dezembro.

O que realmente foi decisivo foi o terceiro aspeto...e lembrámo-nos do "Verão de São Martinho".

O dia de São Martinho assinala-se a 11 de Novembro e nesta altura o tempo costuma estar bastante agradável, permitindo desfrutar do exterior, e assim "encostámos" a nossa data a esta, precedendo-a.

Imagem obtida em https://sicnoticias.pt/pais/2018-11-12-Verao-de-Sao-Martinho-tarda-mas-nao-falha

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) disponibilizou no seu site o texto "Verão de S. Martinho: do mito à realidade e da Europa Continental aos Açores". Nele poderão saber um pouco mais sobre este evento climático.

Para saberem mais sobre o "Verão de São Martinho" cliquem aqui.

terça-feira, 10 de novembro de 2020

É hoje o Dia Mundial da Bolota

 Mais um ano, mais um Dia Mundial da Bolota.

Infelizmente, sem as habituais atividades em grupo...mas podemos continuar a recolher e semear bolotas de carvalhos autóctones, ainda que de um modo mais solitário.

Simbolicamente, deixamos-vos a imagem de um resistente solitário.

Este Quercus faginea é o único exemplar desta espécie num raio de vários quilómetros. Nesta zona do concelho da Covilhã existem vários povoamentos de carvalho-negral, além de sobreiros e algumas azinheiras. Este indivíduo é pois uma verdadeira relíquia.



Felizmente, as suas bolotas não se encontram em confinamento e já estão a comemorar a data que hoje se assinala!

Bom Dia Mundial da Bolota.

segunda-feira, 9 de novembro de 2020

Já apanharam as vossas bolotas?

 Apesar das restrções pandémicas, ainda foi possivel recolher estas bolotas de sobreiro. Estão com muito bom aspeto, não estão?


Infelizmente, foi uma recolha mais solitária, mas melhores dias virão. E esperemos que sejam dias com maior sustentabilidade também.


Se por acaso ainda não recolheram bolotas, saibam que ainda há muitas para apanhar...no entanto, algumas já "fugiram"! Não se atrasem!

sábado, 7 de novembro de 2020

Um Dia Mundial da Bolota diferente...

 As atuais limitações pandémicas não irão permitir grandes atividade no próximo Dia Mundial da Bolota. 

Mas como sempre referimos, esta data pode ser comemorada em qualquer outro dia.

Imagem obtida de redbubble.com


Assim, e apesar das limitações, se for possível fazer a recolha de bolotas de carvalhos autóctones e a sua sementeira (em vasos ou no campo) nas semanas seguintes, no próximo ano teremos mais carvalhitos, e com isso um ambiente melhor.

segunda-feira, 2 de novembro de 2020

Manual ilustrado de espécies da flora portuguesa

Um dos grandes motivos para a preservação das nossas florestas autóctones é a preservação da biodiversidade a elas associada.

Quando nos referimos a uma floresta, devemos ter sempre em perspetiva que a "área de influência" de um determinado conjunto de árvores não se esgota nas sombras das suas copas.


Além do subcoberto de um bosque, das clareiras que entretanto se formam, dos habitats subterrâneos que se desenvolvem, das dinâmicas dos fluxos hidrológicos e de nutrientes que são compartilhados por diversos ecossistemas, a biodiversidade proporcionada por uma floresta autóctone estende-se muito para além dela (ex.: as folhas dos carvalhos ao serem decompostos nos rios influenciam os habitats aquáticos a juzante de um modo distinto do efeito nefasto das folhas de eucaliptos no input orgânico dos cursos de água).


Manual ilustrado de espécies de flora portuguesa (vol. II)

São muitas as espécies de plantas que podemos encontrar ao logo do nosso território, consequência direta ou indireta das dinâmicas dos nossos principais ecossistemas naturais, os carvalhais.

A Direção Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural possui uma mediateca onde encontramos algumas obras de grande interesse, tal como o "Manual ilustrado de espécies da flora portuguesa (volumes I e II)" aos quais poderão aceder nos links abaixo das imagens anteriores.

Boas descobertas!

sexta-feira, 2 de outubro de 2020

Biodiversidade na cidade de Lisboa (curta-metragem)

Deixamo-vos aqui "uma curta metragem documental sobre a biodiversidade da cidade de Lisboa e o trabalho que o LxCras tem vindo a desenvolver enquanto centro de recuperação de animais selvagens."


Salientamos a referência ao Parque de Monsanto, uma "floresta citadina", muito povoada por Quercus.

Podemos sempre encontrar nas nossas cidades e vilas jardins cheios de biodiversidade...e de preferência com carvalhos autóctones.