quinta-feira, 31 de março de 2011

De onde surgem as folhas num carvalho-negral?

As folhas e os ramos desenvolvem-se a partir das gemas.
As gemas são estruturas especializadas que durante o Inverno protegem os tecidos de crescimento (meristemas) que se encontram inactivos durante esta estação. Consoante a sua localização, a gema é terminal ou lateral (axilar), se se encontra na extremidade ou na parte lateral do raminho.
Gemas terminais e laterais de um carvalho-negral

Nas gemas (ou gomos) encontram-se inseridas pequeníssimas folhas, muito compactadas, geralmente protegidas por escamas (que também são folhas mas muito modificadas), cujo desenvolvimento origina um raminho (pequeno ramo que cresce nesse ano).
Na primavera surgem as pequenas folhas a partir das gemas.
A partir daí também se desenvolvem os raminhos.

Muitas gemas laterais desenvolvem-se no mesmo local onde se encontrava uma folha que entretanto caíu. Mas nem sempre crescem novas folhas onde anteriormente existiam, ficando permanentemente uma marca, a cicatriz de abcisão.
 Cicatriz de abcisão observando-se, mesmo por baixo dela, uma gema axial

As gemas do carvalho-negral apresentam a forma de um ovo (ovóide) ou de uma elipse alongada (oblonga), de 4 a 9mm de comprimento, cobertas de pequenos pêlos (tomentosas).

segunda-feira, 28 de março de 2011

Pacotinhos para colocar as bolotas

O 3º Dia Mundial da Bolota ainda está longe (10 de Novembro de 2011). No entanto, têm-nos solicitado o modelo dos pacotinhos para distribuír as bolotas nesse dia.
Para tal, podem aceder a este link em que está o ficheiro em power point e que permite que possam ser feitas alterações, de acordo com a especificidade de cada escola e ou de cada espécie de carvalho:
Mas não se esqueçam de nos comunicar previamente a comemoração deste dia de modo a que haja o necessário contacto e troca de experiências que a todos será proveitoso.
Aqui ficam algumas imagens que vos podem auxiliar a construír os pacotinhos.

Para elaborar dois pacotinhos necessita-se apenas de uma tesoura, fita-cola e uma cópia do ficheiro em anexo (preferencialmente pode reutilizar-se uma folha velha).
Corta-se a folha A4 ao meio e dobra-se cada uma das partes
Dobram-se as extremidades laterais e inferiores para dentro
Coloca-se fita-cola nos limites das extremidades que foram dobradas
Obtemos um pacote com uma única abertura (em cima)
Agora é só colocar as bolotas no seu interior. Cada pacotinho leva entre 10 e 20 bolotas.

domingo, 27 de março de 2011

Bologta no 1º Encontro Regional Para o Desenvolvimento Sustentavel (CIDDADS)

Bologta esteve presente no 1º Encontro Regional Para o Desenvolvimento Sustentável.
Este evento, organizado pelo Centro de Informação, Divulgação e Acção para o Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CIDAADS) decorreu nos dias 18 e 19 de Março de 2011, em Aveiro, tendo como tema principal "Dos discursos às práticas" (um obrigado ao João Monteiro pelo convite e pela organização do evento).


Foi mais uma excelente oportunidade para a divulgação das actividades realizadas do projecto bologta e para relançar a ideia de se criar uma rede de escolas com bolotas de modo a dar um contributo para a reflorestação de Portugal com bolotas dos carvalhos autóctones de cada região, para além da necessária implementação da Educação Ambiental no nosso país.
Para saber mais... http://cidaads.org/

sexta-feira, 25 de março de 2011

A folha marcescente do carvalho-negral

Relativamente à persistência das folhas numa árvore existem, essencialmente, dois tipos: árvores de folha perene e árvores de folha não perene.
As árvores de folha perene (persistente) apresentam folha durante todo o ano. Individualmente as folhas vão caindo, mas nunca simultaneamente, tal como acontece no sobreiro, na azinheira ou nos pinheiros, existindo sempre muitas folhas verdes nestas árvore.

Carvalho-negral: uma árvore de folha marcescente

As árvores de folha não perene são aquelas em que durante uma parte do ano as folhas de toda a árvore secam, podendo caír (árvores de folha caduca) ou então permanecem secas na árvore até à Primavera seguinte, altura em que surgem as novas folhas (árvores de folha marcescente).
Uma folha marcescente de carvalho-negral

O carvalho-negral é uma árvore de folha marcescente, ou seja, é essencialmente uma árvore de folha não persistente em que a folha seca na própria árvore, caindo apenas na Primavera. No entanto, alguns carvalhos-negrais apresentem, ocasionalmente, folha caduca.

Carvalho-negral despido de folhas (fim do Inverno)

Se ainda quiserem ver as folhas secas mas ainda pendentes num carvalho-negral apressem-se pois já começam a surgir as primeiras folhas desta Primavera.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Palestra "Biodiversidade na floresta portuguesa"

No passado dia 15 de Março esteve na Escola Secundária Quinta das Palmeiras o Professor Doutor Jorge Paiva, certamente o mais conhecido botânico e ambientalista de Portugal.

Os participantes (e muitos ex-participantes) do projecto bologta tiveram o previlégio de assistir à palestra Biodiversidade na floresta portuguesa em que todos saíram satisfeitíssimos com a divertida e muito elucidativa linguagem utilizada pelo palestrante, pelos conhecimentos e capacidade de sensibilização e mobilização para as grandes questões ambientais do nosso futuro.

Ao Professor Doutor Jorge Paiva o nosso muito obrigado.

Eis aqui alguns dos comentários:

"Interessante, importante, revitalizante e única... uma palestra espectacular e uma chamada de atenção." (Filipe Carrilho)

"Um alerta para a preservação do nosso planeta..." (Ricardo Pais)

"Ao ouvir-mos as histórias impressionantes e aparentemente impossiveis envoltas numa enorme biodiversidade, concluímos que o Homem tem de alterar a sua atitude perante a Natureza , para que o futuro da Humanidade possa ter viabilidade." (Carolina Baptista e Diana Gomes)

"Gostámos de tudo na palestra , mas admirámos muito o seu espirito de aventureiro e a sua coragem." (Ana Catarina e João Cruz).

"A biodiversidade é essencial para a existência de vida na Terra. Para que ela esteja sempre presente é necessário que o ser humano respeite e preserve a Natureza para que ele próprio possa viver e existir durante mais tempo." (Leonor Ramos e Maria Rodrigues)

"Para nós, o auge da palestra foi quando o Professor Jorge Paiva explorou o tema dos animais e razão pelos mesmos serem de determinadas cores, de acordo com o ambiente em que estão inseridos." (Ana Aysa e Márcia)

"Gostei especialmente de quando o professor nos contou como os frutos das árvores e os animais se adaptam ao meio, mudando de cor." (Margarida Sardinha)

"Uma chamada de atenção interessante e importante, que realçou o quanto precisamos de preservar a biodiversidade. Uma oportunidade única." (Rui Carrilho)

"A biodiversidade é a chave da vida," (Ana Alves)

"O que eu mais gostei na palestra do professor Jorge Paiva foi quando começou a falar das cores dos animais e das plantas e da relação que essas cores tinham com o ambiente em que viviam." (Pedro Silva)

"A imagem que mais me marcou foi a da giboia que comeu um animal inteiro e o facto dele ter sobrevivido 15 dias na selva, só a ser alimentado pelo o que a "natureza lhe dava". (Francisco David)

"Foi uma palestra muito interessante, alertou-nos acerca dos erros do passado para que os possamos evitar no futuro." (Bruno Baptista e José Antunes)

"A palestra dinamizada pelo professor Jorge Paiva foi bastante interessante e despertou o interesse do público para as realidades da biodiversidade portuguesa. O tema foi muito bem aboradado e na nossa opinião a parte que mostrou mais atenção por parte do público, foi a questão da distribuição dos principais tipos de árvores característicamente portugueses e as mudanças de cor da fauna e da flora, consoante o seu habitat. Esperos ter oportunidade de no futuro assistir a uma palestra tão enriquecedora como esta." (Leonor Gonçalves e Ruben Craveiro)

terça-feira, 22 de março de 2011

Petição "Sobreiro: Árvore Nacional de Portugal"

Encontra-se on-line uma petição que visa promover o sobreiro (Quercus suber) como árvore nacional.

Bologta não poderia ficar indiferente a esta iniciativa.

Aqui encontra-se um pequeno resumo das razões desta petição:


- Por ser uma espécie com ampla distribuição no território nacional continental, presente desde o Minho ao Algarve, em diferentes ecossistemas naturais

- Pela enorme biodiversidade associada aos habitats dominados pelo sobreiro

- Pelo facto dos montados serem um excelente exemplo, de como um sistema agro-silvo-pastoril tradicional pode ser sustentável

- Pela crescente relevância que os bosques de sobreiro e os montados, incluindo a biodiversidade associada, estão a conquistar junto de novos sectores, como o sector do turismo

- Pela sua importância económica e social, resultante do facto de Portugal produzir cerca de 200 000 toneladas de cortiça por ano (mais de 50 % do total mundial)

Assinem em: http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=sobreiro

Contribuam para a valorização de uma espécie autóctone que, ainda por cima, produz bolotas :)

segunda-feira, 21 de março de 2011

Dia Mundial da Árvore ou Dia Mundial da Floresta e Dia Mundial da Poesia

Hoje, dia 21 de Março, comemoram-se duas datas importantes:
O Dia Mundial da Árvore ou Dia Mundial da Floresta e ...
o Dia Mundial da Poesia.

Renascer constante

Andar por este sítio, onde vida aparece...
Sentir algo tão natural e puro... nascer...
o silêncio que em ti cresce, quer dizer:
Perceber... algo inexplicável... intolerável... lamentável!

 No passado, eu via a inocência,
confidente, daquele medo que sentia.
alegria, escondia o fim que lamentas não entender...
Não consigo esquecer a angústia do nada que tentei fazer.


Mas o barulho! o barulho... acabou...
Sei que não te consigo tocar...
Basta olhar, para não o querer fazer.

finalmente, perante ti, tento perceber...
Porque te deixei morrer!
Renascer? Para quê!? voltar a sofrer!?
(Paulo Bidarra 11ºF)


A Floresta
Uma imensidão de árvores
De todos os tipos
E espécies.
Compõem um manto verde
Que purifica o mundo
Que está a desaparecer
Para prazer do homem…
Que o usa
e desusa
e volta a usar da forma que quer…
Nós temos
de a proteger,
Para não desaparecer.
Não,
ao fogo!
Não,
ás indústrias que as destroem!
Não,
ao lixo no chão!
A floresta
É para ser protegida…
(Catarina Costa 11ºE)

Obrigado aos nosso poetas...

quarta-feira, 16 de março de 2011

Bologta na "Biosfera"

"Biosfera" é o nome de um magazine semanal que dá relevo às questões ambientais.
Pode ser visto na RTP 2, RTP N, RTPAçores, RTP Madeira, RTP Internacional e RTP África.

Na edição de 13 de Março (12:00 - RTP 2, edição n.º 308) foi feita a referência a bologta: a bolota que tem um blog.
Esperemos que contribua para a divulgação deste blog, das actividades desenvolvidas, da mensagem ambiental e da mudança de comportamentos que pretendemos impulsionar.

Para ver o programa na íntegra (poderá ir para o minuto 34:30 para aceder à rubrica onde é referido este blog):

Disponibilizamos aqui um excerto do programa:

video

sábado, 12 de março de 2011

Características da folha do teixo (Taxus baccata)

Folha: Perene
Dimensões da folha: 2-4 cm de comprimento, 3 mm de largura
Cor da folha: Verde-escuras na página superior, com duas listras verde-amareladas
Forma da folha: Aciculares, pontiagudas, não-picantes, flexíveis, lineares, achatadas
Nervuras da folha: Indistinguíveis
Peciolo da folha: Indistinguível


Folha do teixo (cantoverde.org)


Árvore do teixo (biraplantas.blogspot.com)
Acicular: que tem forma de agulha
Referências:

terça-feira, 8 de março de 2011

Caracteristicas da folha do Sanguinho-de-água (Frangula alnus)

Folha: caduca
Cor da folha: verde no Verão, amarelas e vermelhas no Outono, com pêlos fininhos na face inferior
Forma da folha: obovada, membranosa
Nervuras da folha: 8 a 12 pares, nervuras salientes, paralelas e rectas.


Folha de Frangula alnus (http://http//www.commanster.eu/commanster/Plants/Trees/Trees/Frangula.alnus4.jpg)
Folhas de Frangula alnus  (http://mesindus.ee/files/korjetaim/Frangula_alnus.jpg)

Obovadas: em forma de ovo invertido.

Referências:
http://ervaseinsumos.blogspot.com/2009/03/frangula.html

quinta-feira, 3 de março de 2011

Características da folha do Vidoeiro (Betula celtiberica)

Folha: Caduca;
Dimensão da folha: 4-8 de comprimento, mais larga no meio que no fim;
Forma: Ovada, triangular e dentada;
Nervura da folha: No eixo das nervuras principais apresenta uma fina pilosidade.


Ovada: Forma oval

http://www.cienciaviva.pt/veraocv/2008/downloads/Gui%C3%A3o%20
Biologia%20no%20Ver%C3%A3o%20Serra%20Estrela.pdf
http://www.cm-guimaraes.pt/files/1/documentos/betula_celtiberica.pdf
guimaraes.pt/files/1/documentos/betula_celtiberica.pdfhttp://arvoresdeportugal.free.fr/IndexArborium/Ficha%20B%E9tulaBetulaceltiberica.htm

Característica do Abrunheiro (Prunus spinosa)

Folha: caduca
Dimensões da foha: pequenas
Cor da folha: verde-escura
Forma da folha: oval-lanceoladas serradas

Folha e fruto do abrunheiro

lanceoladas: do feitio do ferro de uma lança
oval: forma de ovo

Referências: http://asminhasplantas.blogspot.com/2007/08/prunus-spinosa.html

quarta-feira, 2 de março de 2011

As bolotas não germinam? É que ainda estamos no Inverno...

Muitas pessoas têm em casa bolotas semeadas em vasos. A maioria destas bolotas, distribuídas no Dia Mundial da Bolota, ainda não germinaram...
"Será que morreram?"
"Se calhar já não germinam!"
"As minhas bolotas estão ao sol e mesmo assim não rebentam!"
...são algumas das questões e comentários que nos têm colocado.
O primeiro carvalhito do nosso bolotário

Há que ter um pouco de paciência... afinal ainda estamos no Inverno.
Algumas bolotas já começaram e germinar, mas são apenas uma pequena minoria. Muitas germinam tardiamente, por vezes apenas em Maio. No nosso bolotário, em cerca de cinquenta vasos, apenas se observa a germinação das bolotas em quatro deles.
Muito sol ... e rega regular! Eis o segredo para a bolota germinar!

Mantenham-nas expostas ao sol e reguem-nas regularmente.
A Primavera está quase aí... mas ainda não começou... vamos aguardar!