segunda-feira, 26 de outubro de 2015

O Manual da Bolota - 2015

Já se encontra disponível o Manual da Bolota de 2015.

Este pequeno manual pretende ser um auxiliar para todos que querem realizar atividades de conservação da Natureza que fomentem uma nova atitude relativamente ao nosso património natural, tal como a comemoração do Dia Mundial da Bolota.



A primeira edição deste manual ocorreu em 2011. Anualmente, temos realizado algumas alterações e atualizações, de acordo com a experiência que adquirimos, e a partir de sugestões dos aderentes do Dia Mundial da Bolota.

Felizmente, são cada vez mais as pessoas e instituições que participam na sementeira de bolotas e plantação de carvalhos autóctones, e que nos fazem chegar as suas experiências, as dificuldades encontradas e os sucessos obtidos. A todos o nosso muito obrigado... e ficamos a aguardar mais sugestões para a edição de 2016!

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Posts úteis para a comemoração do Dia Mundial da Bolota

Vários leitores e seguidores deste blog sugeriram-nos (por e-mail) que alguns posts  antigos deveriam ficar mais acessíveis, possibilitando uma consulta mais rápida, especialmente aqueles que se relacionam com atividades do Dia Mundial da Bolota.


Dos mais de 300 posts já publicados (contagem atualizada em 18/10/2017), selecionámos  alguns que permitem uma melhor preparação do Dia Mundial da Bolota:


O Dia Mundial da Bolota

As bolotas

Carvalhos e carvalhitos

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Umas novas bolotas no fundo deste blog - de que espécie são?

Mudámos ligeiramente o aspeto do nosso blog.

As "velhinhas" bolotas de Quercus pyrenaica selecionadas e prontas a semear foram substituídas por umas de outra espécie, ainda imaturas e na árvore (ou arbusto?).

As novas bolotas do fundo deste blog

Conseguem adivinhar qual é a espécie (podem deixar um comentário).

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Aproxima-se o 7º Dia Mundial da Bolota - 10 de novembro de 2015

A 10 de novembro será comemorado, pelo sétimo ano consecutivo, o Dia Mundial da Bolota!

Todos podemos participar, individual ou coletivamente.

As nossas florestas autóctones de carvalhos, sobreiros,  azinheiras, carrascos, carvalhiças, etc. (todas estas espécies germinam a partir de bolotas) são um garante de biodiversidade e de recursos naturais.

Infelizmente a sua sobre-exploração não tem sido compensada, causando uma dramática redução destes valiosos habitats.

Podemos atenuar o declínio dos carvalhais, e até aumentar localmente a sua extensão, comemorando o Dia Mundial da Bolota.

Já há bolotas cheias de pressa para participar no 7º Dia Mundial da Bolota!

Para participar basta recolher previamente bolotas de carvalhos autóctones para que no dia 10 de novembro (ou outra data que vos seja mais conveniente) se realizem as seguintes actividades:

- semear bolotas no campo, a partir das quais se desenvolverão os carvalhos;

- semear bolotas em vasos, para no ano seguinte obter pequenos carvalhos para plantar;

- distribuir bolotas a elementos de uma organização - escolas, escuteiros, etc. - para que as possam semear no campo ou em vasos (terão pequenos carvalhos para serem plantados no próximo ano);

- dinamizar outro tipo de atividades, tais como caminhadas para semear bolotas, workshops sobre sementeira, elaboração de cartazes alusivos a esta data, oficinas de cozinha com receitas de com bolotas...

... ou qualquer ouro tipo de iniciativa que nos lembre que de uma só bolota pode nascer um arbusto, uma árvore ou uma floresta!

Só nestes recipientes estão cerca de 24.000 bolotas de carvalho-negral... mas isto foi em 2014. Este ano vamos recolher ainda mais!

A comemoração do Dia Mundial da Bolota não carece de nenhuma inscrição prévia.

No entanto, o estabelecimento de um contacto (por e-mail) permite-nos obter algum feedback sobre a dimensão desta iniciativa e possibilita-nos o envio de alguns materiais (também por e-mail) que poderão ser úteis, tais como o manual da bolota 2015 (pdf) e um ficheiro editável para a elaboração de pacotinhos para as bolotas, entre outros.

O contacto por e-mail também permite aos aderentes fazerem sugestões de atividades que possam enriquecer esta data.

Para aderirem a esta iniciativa, contactem-nos pelo seguinte e-mail: bologta@gmail.com

Solicitamos a indicação dos seguintes dados no e-mail:
- Nome da escola/instituição aderente/participante individual;
- Localidade;
- Nome do responsável/ dinamizador e cargo na instituição (ex: professor de Ciências Naturais);
- Público-alvo (ex. para instituições: alunos 8º ano; toda a escola); (ex. para participantes individuais: com a família; com amigos).

Contamos com a vossa participação de modo a que localmente possamos contribuir para a conservação e recuperação dos bosques e florestas autóctones.

E se possível, divulguem esta data para semearmos o Dia Mundial da Bolota um pouco por todo o lado.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Chave dicotómica simplificada para a identificação de carvalhos portugueses

Apresentamos aqui uma chave dicotómica bastante simplificada para a identificação das diferentes espécies de carvalhos autóctones portugueses.

Esta chave necessita que se conheça a planta a analisar pois é necessário saber se apresenta folha persistente ou caduca. Será útil para a identificação de uma árvore que se encontre num local que costumamos frequentar.

1.
- Folhas persistentes - 2
- Folhas caducas ou marcescentes - 4

2.
- Folhas glabras - Quercus coccifera (Carrasco)
- Folhas estelado-tomentosas na página inferior - 3

3.
- Folhas remotamente denticuladas; casca suberosa - Quercus suber (Sobreiro)
- Folhas asserado-espinosas ou dentado-espinosas a inteiras; casca não suberosa, dura - Quercus ilex (Azinheira)

4.
- Página inferior da folha e raminhos estelado-tomentosos - 5
- Folhas e raminhos glabros ou com indumento caduco - 7

5.
- Folhas penatífidas - Quercus pyrenaica (Carvalho-negral)
- Folhas crenadas, dentadas, lobadas - 6

6.
- Árvore - Quercus faginea (Carvalho-cerquinho)
- Arbusto estolonífero - Quercus lusitanica (Carvalhiça)

7.
- Folhas com 4 a 8 pares de nervuras secundárias - Quercus robur (Carvalho-alvarinho)
- Folhas com 12 a 15 pares de nervuras secundárias - Quercus canariensis(Carvalho-de-monchique)

Um excelente exemplar de Quercus pyrenaica na base da Serra da Estrela

Propomos também que se consulte a chave dicotómica disponível no blog sombra verde (já agora, explorem este excelente blog).

Podemos auxiliar na identificação das nossas espécies de carvalhos autóctones se nos contactarem por e-mail - bologta@gmail.com.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Estação experimental na escola (2)

A nossa "estação experimental" não correu como esperado... as condições de seca severa desidrataram as bolotas e para a maioria dos carvalhitos plantados a falta de água foi muito castigadora, ainda que se tenha tentado manter as plantações com rega manual.


A seca não foi nada simpática com as nossas experiências no campo
(foto após as sementeiras e plantações)

Apenas alguns sobreiros (Quercus suber) e carvalhos-negrais (Quercus pyrenaica) resistiram.
Um dado curioso... das bolotas de azinheira (Quercus ilex) semeadas, apesar de ser uma espécie relativamente xerófita (adaptada a condições de seca prolongada), nenhuma germinou... e as pequenas azinheiritas foram das primeiras a secar. Teremos que analisar melhor outros fatores que estejam a interferir com esta espécie.

Bem, este ano iremos testar novamente as nossas hipóteses e fazer a nossa floresta autóctone nas encostas da nossa escola!